Inpasa Brasil lança obra de ampliação da planta de Dourados

Publicado em 31 de Agosto de 2021 ás 15h 19min

A Inpasa Brasil realizou nesta terça-feira (31), o lançamento da segunda fase de obras da unidade de Dourados. Esta é a terceira planta brasileira do Grupo que começou a ser construída em abril de 2021 e tem perspectiva de entrar em operação em abril de 2022. O complexo industrial possui 200 mil m² de área construída e contempla os processos de fabricação de Etanol anidro e hidratado, DDGS, óleo bruto e refino de óleo, além de duas fontes distintas para geração de energia elétrica.

Participaram da cerimônia de lançamento da ampliação o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, e o prefeito de Dourados, Alan Aquino Guedes, o secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, entre outras autoridades. Durante o evento, foi realizada a assinatura do termo de acordo entre o Estado de Mato Grosso do Sul e a Inpasa Brasil, além do descerramento da placa de inauguração como um marco para a expansão na produção de energias limpas e sustentáveis no estado.

A produção da fase 1 será de 400 milhões de litros de etanol ano, para um processamento de 900 mil toneladas de milho. A planta também contempla a produção de 230 mil toneladas de DDGS e de 22 mil toneladas de óleo de milho bruto anualmente. O empreendimento será autossuficiente em energia elétrica, com geração de 220 mil MW/ano através de turbinas de reação.

Já na segunda fase, a produção será duplicada, alcançando 800 milhões de litros de etanol, processando 1.8 milhão de toneladas de milho. Também serão expandidas as produções de DDGS, chegando a 460 mil toneladas e 44 mil toneladas de óleo de milho e 440 mil mw/ano de energia elétrica.

Com a construção da fase 1 e 2 de Dourados, o Grupo Inpasa, que já é o maior produtor de etanol de milho da América Latina, vai superar a marca de 2.7 bilhões de litros ao ano de combustível limpo e renovável.

De acordo com o vice-presidente do grupo, Rafael Ranzolin, a planta de Dourados vem para contribuir e transformar o estado. “Estamos apostando no potencial do estado de Mato Grosso do Sul como um grande polo de transformação do milho em fonte de energia renovável e proteína”.

Emprego

Ao passar pela rodovia é fácil perceber a grande movimentação de ônibus e veículos leves em torno da planta que já emprega 1.5 mil trabalhadores, na 1º etapa de construção. A previsão é chegar a 2 mil no pico da obra, entre os meses de dezembro a março de 2022. Durante a fase de operação estão previstos 250 empregos diretos e cerca de 2 mil indiretos.

Novos negócios

Além da duplicação na produção, a fase 2 agrega ao complexo industrial de Dourados, dois novos negócios. O primeiro deles é uma fábrica de refino de Óleo com capacidade inicial de 210 mil toneladas ao ano, a partir do óleo bruto produzido em Dourados e, também, das demais plantas do grupo, com capacidade de expansão.

A fábrica, totalmente sustentável, estará integrada energeticamente ao processo industrial, sem geração de efluentes.

O segundo negócio será uma usina fotovoltaica com geração de 15 mil MW/ano de energia elétrica, através de 11.574 placas solares, ocupando uma área de 10 ha.

Histórico

A Inpasa nasceu no Paraguai, na cidade de Nova Esperança, em 2006, sendo a primeira unidade de etanol 100% a base de milho da América Latina. Em 2018, inaugurou a segunda planta, em San Pedro, também no Paraguai. No Brasil, a primeira unidade foi inaugurada em 2019, na cidade de Sinop, Mato Grosso, seguida da quarta planta do grupo, em Nova Mutum, em 2020.

Com experiência de 4 indústrias em operação, a Inpasa decidiu expandir seus negócios para outras áreas do país, escolhendo o estado de Mato Grosso do Sul como a sede para a 5ª planta do grupo.

Hoje, as indústrias no Paraguai produzem 460 milhões litros de Etanol ao ano, processando mais de 1 milhão toneladas de milho. Quando se trata das indústrias brasileiras já em operação, são 1.5 bilhões de litros ao ano, para um processamento de 3.3 milhões de toneladas de milho.

 


Fonte: assessoria de imprensa

Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.